Você gostaria de fazer do português o idioma padrão deste site?
2010-03-03

Toda beleza do mundo em Fernando de Noronha

Por Patricia Knebel para Infosurhoy.com — 03/03/2010

Visibilidade da água pode chegar a 40 metros de profundidade

TAMANHO DO TEXTO
Pelo menos 70% do arquipélago está localizado em área considerada de preservação nacional. (Patricia Knebel para Infosurhoy.com)

Pelo menos 70% do arquipélago está localizado em área considerada de preservação nacional. (Patricia Knebel para Infosurhoy.com)

FERNANDO DE NORONHA, Brasil – Enquanto o avião se prepara para aterrissar no aeroporto de Fernando de Noronha, as imagens que os passageiros veem pela pequena janela já são de tirar o fôlego.

O tradicional sobrevoo oferecido pelos pilotos quando avistam a ilha é uma espécie de ritual de entrada no paraíso.

Localizado na região Nordeste do Brasil, a 545 km (338.4 milhas) de Recife, capital de Pernambuco, o arquipélago de Fernando de Noronha encanta visitantes do mundo inteiro com suas belezas naturais, como a Baía do Sancho, a Praia do Boldró e a Baía dos Porcos.

São 21 ilhas de origem vulcânica. A maior delas tem apenas18,4 km² de área. Cerca de 70% do arquipélago está localizado em área considerada de preservação nacional. Para especialistas, esse é o segredo de tanta beleza.

A gestão das ilhas é feita pelo Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha (ICMBio) — órgão federal responsável pela conservação do ambiente natural, pela pesquisa e pelo uso público do local via turismo.

Um exemplo de todo o cuidado dedicado às ilhas é a Praia do Atalaia. Durante os horários de maré baixa, é possível mergulhar em um berçário de corais e peixes no Atalaia.

Devido à fragilidade dos organismos vivos que habitam o Atalaia, o número de visitantes é limitado a seis grupos de 18 turistas por dia, com permanência máxima de duas horas cada. Para ver as belezas do local, é preciso flutuar em suas rasas águas. É proibido tocar o fundo do mar com os pés ou as mãos, bem como usar protetor solar.

“Queremos que os turistas vivam a experiência de estarem em um parque nacional”, diz a analista ambiental do ICMBio, Rossana Santana. “Que nadem com os golfinhos e com as tartarugas, mergulhem e se sintam tocados por esse ecossistema equilibrado.”

Uma das maiores atrações do arquipélago é o mergulho. Em alguns pontos, a visibilidade da água pode chegar a 40 metros, o que proporciona uma experiência única aos turistas.

“De julho a outubro, mesmo quem não deseja fazer o mergulho autônomo, consegue ver uma quantidade enorme de espécies apenas flutuando e com o snorkel”, relata Rossana.

É possível nadar próximo aos golfinhos, que diariamente vão até a Baia dos Golfinhos. Tubarões também são avistados com freqüência, porém são inofensivos, desde que respeitado seu espaço.

“Fiquei surpresa com a riqueza da vida marinha”, conta Sabrina Piccoli Marques, que recentemente visitou Noronha. “É completamente fascinante. Estar perto de um golfinho é uma sensação indescritível. A fauna terrestre também é muito bonita, mas o mar e todo o seu colorido são as atrações principais.”

Na outra parte da ilha, fora da unidade de gestão do ICMBio, fica o pequeno vilarejo, que abriga os moradores, o comércio e as pousadas. Nessa mesma região, fica a Praia da Cacimba do Padre, que atrai jovens de todos os continentes para a prática do surfe, principalmente de novembro a março, durante a temporada de altas ondas.

“Para viagens curtas, acredito que o turista está bem estruturado”, diz Sabrina. “Senti falta de mais estabelecimentos aceitarem cartão de crédito, mas isso vem sendo melhorado a cada ano.”

Em 2009, cerca de 60 mil pessoas visitaram as ilhas. Na Pousada Maravilha, uma das mais sofisticadas do arquipélago, pelo menos 40% dos clientes são estrangeiros, procedentes dos Estados Unidos, Europa e América Latina. Mas a entrada ao arquipélago é regulada e limitada. Os visitantes devem pagar uma taxa por cada dia que permanecerem nas ilhas.

“Por ser um lugar de preservação, cuidamos para que esse número não ultrapasse um determinado limite, inclusive para não corrermos o risco de a ilha ficar sem suprimento”, revela o coordenador de Meio Ambiente e Ecoturismo de Fernando de Noronha, Alexandre Lopes.

Planeje sua viagem

Como chegar: Os voos para Fernando de Noronha partem diariamente de Recife (PE) ou de Natal (RN) e tem duração de 50min à 1h10min até o arquipélago. As companhias Gol (www.voegol.com.br) e Trip (www.voetrip.com.br) oferecem o trajeto.

Quando visitar: A melhor época para mergulho é entre o final de julho e novembro. Para os surfistas, é visitar a ilha de novembro a março.

Clima: A estação chuvosa vai de janeiro a agosto. A temperatura média é de 28°C.

Taxa de Preservação Ambiental (TPA)

1 dia = R$ 38,24

7 dias = R$ 237,08

Você gostou desta reportagem?

0

Incluir seu comentário

2 comentários

  1. José carlos menezes 02/02/2014

    Muito bom, é orientativo. obrigado

  2. nicoly natalia 04/11/2013

    esse lugar é muiiittoooo lindooo pois tenhoo vontade de conhecer.pois queri q turma do colegio tambem conhecese...

Pesquisa
Você considera o crime organizado uma ameaça à estabilidade em seu país?
Ver resultados