Você gostaria de fazer do português o idioma padrão deste site?
2010-03-12

Embaixador de ritmos brasileiros em turnê pelos EUA

Por Fabiane Dal-Ri para Infosurhoy.com —12/03/2010

Gilberto Gil traz seu “Concerto de Cordas” a 14 cidades norte-americanas

TAMANHO DO TEXTO
Com seu “Concerto de Cordas”, Gilberto Gil apresentará “o milagre da canção” no Lisner Auditorium da George Washington University, em 13 de março. (Andy Sheppard/Redferns)

Com seu “Concerto de Cordas”, Gilberto Gil apresentará “o milagre da canção” no Lisner Auditorium da George Washington University, em 13 de março. (Andy Sheppard/Redferns)

WASHINGTON D.C., EUA – Com estréia em Nova York, em 11 de março, a lenda brasileira Gilberto Gil mostrará às audiências americanas uma performance a que poucos em sua terra natal assistiram.

O “Concerto de Cordas”, em que Gil divide o palco com seu filho, Bem Gil (guitarra) e Jaques Morelenbaum (violoncelista e maestro), foi lançado na Europa em novembro do ano passado. Depois de 15 shows em nove países e apenas algumas apresentações no Brasil, Gil iniciou sua excursão musical de costa a costa nos Estados Unidos, com 14 apresentações agendadas até o final da turnê, em Minneapolis (Minnesota), em 3 de abril.

A próxima parada de Gil é em 13 de março no Lisner Auditorium da George Washington University, em Washington – uma cidade onde o descontraído músico baiano também já desempenhou papel bem mais formal como Ministro da Cultura (2003 a 2008).

Gilberto Gil se apresenta no Lisner Auditorium da Universidade George Washington no dia 13 de marco.

Mas agora Gil está de volta à estrada como cantor e compositor, justificando seu título como embaixador dos ritmos brasileiros. Sua música é tão misturada quanto os brasileiros. Um dos fundadores do Tropicalismo na década de 1960 – paternidade partilhada com outro ícone, Caetano Veloso – as criações de Gil fundem seus ingredientes fundamentais – baião, samba e bossa-nova – com rock, reggae, funk e afoxé.

Mas Gil é mais do que batidas.

Gil tem substância.

Suas palavras suaves, mas poderosas se concentram em questões como desigualdade social, raça, ciência e religião, tornando-o um tesouro nacional.

“A riqueza de suas letras, o brilho e o balanço de suas melodias, sua forma única de cantar, tocar e conceber a música resultam numa luz inextinguível e profunda inspiração para os corações e mentes de gerações de artistas, brasileiros e estrangeiros”, escreveu Morelenbaum em press release sobre a nova turnê de Gil. “Estar mais próximo dele agora e dividir o palco com sua energia e combustível para dar corpo a sonhos sem fim é uma das maiores alegrias da minha vida.”

Gil lançou 52 álbuns, sendo 12 discos de ouro e cinco de platina. Ele ainda ganhou sete prêmios Grammy, tendo vendido mais de quatro milhões de discos no mundo inteiro.

“Certamente será uma alegria e um prazer tocar juntos e tentarei dar a todos que venham nos ver uma ideia do eterno milagre da canção”, diz Gil no press release da turnê.

Entre as maravilhas que os fãs podem esperar estão grandes sucessos, como “Esotérico” e “Expresso 2222”. Ambos os hits estão de volta em seu mais recente álbum, “BandaDois”, recentemente lançado nos EUA. O disco é uma retrospectiva ao vivo de seus quase 50 anos de carreira e também apresenta os clássicos “Refazenda” e “Saudade da Bahia”.

Os álbuns de Gil são lançados mundialmente desde 1978, quando ele se apresentou e gravou um disco ao vivo no Montreux Jazz Festival, na Suíça, segundo com seu Web site. Desde então, todo ano ele excursiona pela Europa, América do Norte, América Latina e Japão.

“Eu o vi criar mais alegria e mais momentos misteriosamente belos em que o tempo congela do que a maioria dos outros artistas de qualquer espécie, sem inflar o ego”, escreveu o crítico de jazz e pop Ben Ratliff, do New York Times. “Além de tudo, ele é uma das estrelas pop mais sensatas que se pode encontrar.”

Depois que Gil deixar a América do Norte, em abril, os fãs de música brasileira nos Estados Unidos poderão ver outro ícone brasileiro. A turnê “Lenda Brasileira” de Caetano Veloso vai passar por seis cidades, incluindo Washington, onde também se apresentará no Lisner Auditorium, em 10 de abril.

Turnê de Gilberto Gil pelos EUA

13 de março – Washington, D.C.(Lisner Auditorium)

14 de março – Chapel Hill, NC (Cameron Hall – Memorial Hall)

17 de março – Berkeley, CA (Zellerbach Auditorium)

18 de março – Santa Cruz, CA (Rio Theater – Kuumbwa)

20 de março – Los Angeles, CA (Royce Hall – UCLA Center for the Arts)

21 de março – Scottsdale, AZ (Scottsdale Center for the Arts: The String Concert)

23 de março – Austin, TX (Hogg Auditorium – The University of Texas)

25 de março – Austin, TX (Hogg Auditorium – The University of Texas)

26 de março – Houston, TX (Jones Hall)

28 de março – Grand Prairie, TX (Nokia Theater)

31 de março – Fort Lauderdale, FL (Broward Center for the Performing Arts – AuRene Theater)

2 de abril – Chicago, IL (Orchestra Hall)

3 de abril – Minneapolis, MN (Minnesota Orchestra)

Você gostou desta reportagem?

0Rating_no

Incluir seu comentário

Pesquisa
Você considera o crime organizado uma ameaça à estabilidade em seu país?
Ver resultados