Você gostaria de fazer do português o idioma padrão deste site?
2011-01-13

Paraguai: Agência antidrogas tem ano recorde

Por Hugo Barrios para Infosurhoy.com—13/01/2011

SENAD apreendeu um “número histórico” de narcóticos em 2010.

TAMANHO DO TEXTO
A SENAD guarda as drogas apreendidas em sua sede em Assunção. (Marta Escurra para Infosurhoy.com)

A SENAD guarda as drogas apreendidas em sua sede em Assunção. (Marta Escurra para Infosurhoy.com)

ASSUNÇÃO, Paraguai – A captura dos brasileiros Jarvis Chimenes e Erineu Domingo Soligo, suspeitos de chefiar o tráfico de drogas, coroou um ano em que os agentes antidrogas apreenderam o maior volume em toda a história do país, informou César Damián Aquino, diretor da Secretaria Nacional Antidrogas (SENAD).

“Nossa mobilização em massa na guerra contra as drogas resultou na apreensão recorde de 1,41 tonelada de cocaína, no valor de 49 bilhões de guaranis (R$ 18 milhões), que é um número histórico”, disse Aquino. “Também apreendemos 128.971 kg de maconha picada e prensada, 21 kg de haxixe, quatro quilos de crack e 143 pílulas de ecstasy.”

A SENAD confiscou 599 kg de cocaína em 2009, 280 kg em 2008 e 810 kg em 2007.

A colaboração internacional foi essencial para que a SENAD tivesse o melhor ano de sua história, informou Aquino.

“Com a colaboração da Polícia Federal do Brasil, destruímos 1.013 hectares de maconha, que seria vendida por 152 bilhões de guaranis (R$ 45 milhões).”

A SENAD prendeu 333 suspeitos de crimes relativos a drogas em 2010, disse a agente especial María Mercedes Castiñeira, chefe de relações com a mídia da agência.

“Durante nossas batidas, também apreendemos um total de 25 kg de efedrina”, disse ela.

O trabalho de campo da SENAD foi forte durante o ano de 2010, informou María Mercedes. “Realizamos 276 mesas-redondas comunitárias a respeito dos perigos [do narcotráfico] às quais compareceram cerca de 16.000 pessoas.”

SENAD define metas mais amplas para 2011

A meta da SENAD em 2011 é atingir números ainda maiores que os do ano passado, informou Miguel Chaparro, chefe de operações da agência.

“Vamos duplicar os esforços", disse ele. "Vamos continuar nossa guerra contra o tráfico de drogas. Não há padrão a seguir, mas a razão da existência da nossa agência é apreender a maior quantidade possível de drogas.”

E parece que os esforços estão dando resultado no ano novo. Em 5 de janeiro, os agentes da SENAD apreenderam 530 kg de maconha na cidade de Salto del Guairá, próximo à fronteira do Brasil, disse Chaparro.

Entre 6 e 10 de janeiro, foram confiscados mais de 771 kg de cocaína em uma operação no Aeroporto Internacional Silvio Pettirossi, em Assunção, que estavam escondidos em bagagens cujo destino seria a Espanha.

“Esperamos fazer mais apreensões esse ano”, informou Chaparro. “É a nossa meta.”

Chaparro salientou a detenção de Chimenes e Soligo, que foram capturados em dezembro e julho, como grandes realizações, e chamou os traficantes de “figurões mundiais” do comércio de drogas ilícitas.

“Eles estão prestes a ser extraditados para o Brasil”, disse Chaparro.

Corte nas verbas da SENAD

A SENAD pode ter de fazer mais com menos em 2011. A economia do país sem litoral obteve um crescimento recorde de 14,5% em 2010, mas o ministro das Finanças disse que vai reduzir o orçamento operacional da agência antidrogas esse ano, disse María Mercedes. O ministro não revelou o montante exato da redução.

Mas Chaparro afirmou que receber ajuda de agentes antidrogas de outros países pode compensar o corte no orçamento.

“A Polícia Federal do Brasil nos traz recursos importantes para ajudar a erradicar as plantações de maconha”, acrescentou Chaparro. “Antes, sem essa ajuda, fazíamos de três a cinco erradicações por ano. Agora fazemos 10.”

Mas há a necessidade urgente de mais recursos para contratar pelo menos mais 50 agentes, a fim de reforçar as operações antidrogas ao longo das fronteiras do Paraguai com Brasil, Argentina e Bolívia, disse Chaparro.

Aumenta o consumo de drogas entre jovens paraguaios

Uma pesquisa feita pelo Observatório Paraguaio de Drogas, da SENAD, em 39 escolas públicas de Assunção, revelou que 9% dos alunos disseram já ter usado maconha em alguma época de suas vidas.

“3% deles disseram que haviam consumido maconha no mês anterior”, disse Juan López, diretor do Observatório Paraguaio de Drogas, que rastreia para a SENAD o uso de drogas no país.

A agência também tem um departamento de reabilitação e tratamento para viciados.

“Ano passado, percebemos um aumento no número de jovens que pediam ajuda aos nossos serviços", disse Gilmara Robledo, chefe da diretoria de tratamento e reabilitação da SENAD. “E agora vêm pedir ajuda já aos 13 anos de idade. Antes, tínhamos pacientes que usavam tabaco e álcool como porta de entrada para as drogas ilegais. Agora os pacientes que nos procuram não consomem essas substâncias, mas já começaram diretamente com drogas mais pesadas, como o crack.”

Você gostou desta reportagem?

1

Incluir seu comentário

Pesquisa
Você considera o crime organizado uma ameaça à estabilidade em seu país?
Ver resultados