Você gostaria de fazer do português o idioma padrão deste site?
2011-02-16

Colômbia: Primeiro submarino usado no narcotráfico confiscado

Por Olga Vélez e Ezra Fieser para Infosurhoy.com—16/02/2011

Guatemala: Polícia apreende 18 kg de cocaína.

TAMANHO DO TEXTO
Autoridades colombianas confiscaram a primeira embarcação totalmente submergível com capacidade para transportar narcóticos no último fim de semana. (Jaime Saldarriaga/Reuters)

Autoridades colombianas confiscaram a primeira embarcação totalmente submergível com capacidade para transportar narcóticos no último fim de semana. (Jaime Saldarriaga/Reuters)

BOGOTÁ, Colômbia – A Marinha colombiana, a Força Aérea e a Procuradoria Geral confiscaram a primeira embarcação totalmente submergível com capacidade para transportar narcóticos, informou o coronel Manuel Hurtado, chefe do Comando do Pacífico da Colômbia.

O submarino, com capacidade de atingir uma profundidade de três metros, foi descoberto em 13 de fevereiro no rio Timbiquí, departamento de Cauca, cerca de 440 km a sudoeste da capital do país.

A embarcação de fibra de vidro de 30 metros de comprimento era equipada com dois motores a óleo diesel e tinha capacidade para acomodar 6 tripulantes e carregar até 8 toneladas de cocaína, detalhou ele. O submarino tinha ainda ar-condicionado e um periscópio de 5 metros.

O submarino estava equipado para viajar da Colômbia ao México.

“Os motores já estavam instalados e prontos para partir”, contou Hurtado, segundo a The Associated Press.

Hurtado acrescentou que o submarino custou cerca de US$ 2 milhões (R$ 3,3 milhões) para ser construído.

O coronel informou ainda que os policiais confiscaram ao menos 32 embarcações semi-submergíveis usadas para contrabandear narcóticos na última década, incluindo 12 em 2010.

O general Jaime Herazo disse que o submarino pertencia a “gangues de droga”, mas não especificou qual, segundo o El Colombiano.com.

Ninguém foi preso em conexão com o confisco.

Guatemala: Autoridades apreendem 18 kg de cocaína

CIDADE DA GUATEMALA – A luta do presidente Álvaro Colom contra o narcotráfico obteve mais uma vitória quando as forças de segurança prenderam 3 supostos narcotraficantes, confiscaram 18 kg de cocaína, 48 cavalos espanhóis e armamentos de uma fazenda a oeste da capital, informaram as autoridades em 13 de fevereiro.

Os agentes revistaram a fazenda, que fica na autoestrada Interamericana, no departamento de Chimaltenango. Juan Francisco Cotzajay Borrayo, de 54 anos, Gamaliel Rodenas Morales, 30, e Jorge Cotzajay Hernández, 26, foram entregues aos promotores, de acordo com a Polícia Nacional Civil.

Os puros-sangues estão avaliados entre US$ 15.000 e US$ 20.000 (R$ 25.000 e R$ 33.000), e a polícia apreendeu também duas escopetas e munição, segundo o jornal guatemalteco Prensa Libre.

Os traficantes usam com frequência a Guatemala e outros países da América Central para transportar drogas da América do Sul para os Estados Unidos.

Cerca de 250 toneladas métricas de cocaína são movimentadas através do país por ano, de acordo com a Agence France-Presse.

Colômbia: Fernando Jiménez Abadía é preso

BOGOTÁ, Colômbia – Fernando Jiménez Abadía, um suposto integrante da gangue de narcotráfico que era liderada por Juan Carlos Ramírez Abadía, foi levado sob custódia recentemente na cidade de Cali, departamento de Valle del Cauca.

“Ele era o confidente de [Juan Carlos] e responsável pelo envio de grandes carregamentos de cocaína escondidos em peixes através da Argentina para os países europeus, principalmente a Bélgica”, informou o diretor da Polícia Judicial, general Carlos Ramiro Mena Bravo, segundo o El Pais.com.

Jiménez Abadía foi levado para a capital do país, onde ficou sob custódia da Procuradoria Geral. Ele deve ser extraditado para a Argentina, onde enfrentará acusações de contrabando de narcóticos, segundo o El Colombiano.com.

Juan Carlos Ramírez Abadía foi extraditado para os Estados Unidos após ser preso pelas autoridades panamenhas em 2008.

Colômbia: Exército destrói 12.000 mudas de coca

BOGOTÁ, Colômbia – A Segunda Divisão do Exército destruiu recentemente 12.000 mudas de coca em uma operação no departamento de Norte de Santander, informaram autoridades militares.

A erradicação aconteceu no vilarejo de La Pelota, município de Hacarí, onde soldados procuravam por narcotraficantes.

Não se sabe quem era o dono das mudas de coca, disseram as autoridades, segundo o site RadioSantafe.com.

México: Exército apreende mais de meia tonelada de metanfetamina

CIDADE DO MÉXICO – O Exército mexicano apreendeu mais de meia tonelada métrica de metanfetamina em uma operação em um laboratório clandestino no estado de Sinaloa, noroeste do país, em 13 de fevereiro, informou a Secretaria da Defesa Nacional (SEDENA).

O laboratório foi descoberto no vilarejo de Los Mimbres, município de Cosalá, depois que os agentes “sentiram um cheiro forte" característico da produção da droga, segundo nota da SEDENA.

Os agentes confiscaram 570 kg da droga sintética em forma de cristal e 18 litros em forma líquida.

A SEDENA informou ainda que a droga apreendida equivale a cerca de um milhão de doses e seu valor de mercado gira em torno de US$ 20 milhões (R$ 33,4 milhões), segundo o jornal mexicano El Universal.

México: Moradores transtornados com aumento da violência ligada às drogas

CIDADE DO MÉXICO – Centenas de moradores foram às ruas na capital do país em 14 de fevereiro para exigir do governo leis antidrogas mais severas depois que 45 pessoas morreram em crimes ligados a narcóticos no último fim de semana.

“Chega de violência, chega de falta de segurança, chega de políticos corruptos. Vamos seguir em frente com candidatos cidadãos”, gritavam os manifestantes no turístico Paseo de la Reforma, após o recente banho de sangue nas cidades de Monterrey e Guadalajara, no estado de Chihuahua, região norte do país.

A maioria das mortes aconteceu no estado de Chihuahua, onde ao menos 26 pessoas foram assassinadas, incluindo 20 em Ciudad Juárez, considerada a cidade mais perigosa do país, informaram os promotores, segundo a Agence France-Presse.

Na cidade industrial de Monterrey, uma unidade de soldados e policiais, conhecida como Grupo de Reação Imediata, fizeram uma blitz que acabou provocando a morte de 7 pessoas quando passageiros em dois veículos abriram fogo contra os policiais.

“Sete supostos agressores perderam suas vidas”, disse em nota o secretário de Defesa.

No total, mais de 34.600 pessoas morreram nas guerras por território ligadas ao narcotráfico desde dezembro de 2006, quando o governo destacou soldados para ajudar a polícia na luta contra os cartéis de drogas, segundo a agência EFE.

Você gostou desta reportagem?

1

Incluir seu comentário

Pesquisa
Você considera o crime organizado uma ameaça à estabilidade em seu país?
Ver resultados