Você gostaria de fazer do português o idioma padrão deste site?
2012-02-13

Peru: Capturado líder do Sendero Luminoso

Por Amitai Nadav para Infosurhoy.com — 13/02/2012

‘Camarada Artemio’ teria executado pelo menos 500 atos terroristas desde os anos 80.

TAMANHO DO TEXTO
“Camarada Artemio”, um dos principais líderes do grupo guerrilheiro Sendero Luminoso, recebe atenção médica em sua chegada a Lima em 12 de fevereiro. (Pilar Olivares/Reuters)

“Camarada Artemio”, um dos principais líderes do grupo guerrilheiro Sendero Luminoso, recebe atenção médica em sua chegada a Lima em 12 de fevereiro. (Pilar Olivares/Reuters)

LIMA, Peru – Militares peruanos prenderam uma figura central do outrora temido grupo guerrilheiro Sendero Luminoso, que foi ferido seriamente durante uma batalha contra forças de segurança, anunciou o ministro da Defesa.

Florindo Eleuterio Flores Hala, o “Camarada Artemio”, “está vivo e recebendo cuidados médicos”, informou Alberto Otárola.

Artemio foi ferido em um tiroteio entre sua facção e uma unidade de forças especiais em 9 de fevereiro. Três dias depois, uma patrulha militar encontrou o rebelde conectado a um dispositivo intravenoso em uma cabana na área conhecida como Cashiyacu, próximo ao Rio Mishollo.

O ministro conta que Artemio foi levado sob custódia sem incidentes, assim como dois de seus prováveis camaradas do Sendero Luminoso – “Cubillas” e “Lander” – após supostamente terem sido encontrados com munições, explosivos, aparelhos de comunicação e material de propaganda, segundo o gabinete do presidente peruano, Ollanta Humala.

“[Artemio] admitiu a derrota clara de sua unidade”, disse Otárola. “Ele é uma pessoa derrotada e desmoralizada.”

O líder guerrilheiro foi transportado à base militar de Santa Lucía, em Tocache, no departamento de San Martín, antes de ser levado à capital do país, Lima, em 12 de fevereiro.

“Este é um momento histórico”, declarou o presidente em Tocache, onde verificou pessoalmente a condição de saúde do terrorista. Segundo a mídia local, Humala disse a Artemio para persuadir seus camaradas a depor as armas e renunciar a métodos violentos.

“Ao capturar Artemio vivo, derrotamos os terroristas criminosos no Alto Huallaga”, acrescentou o presidente.

A queda do líder rebelde é, até agora, o maior sucesso de Humala, que assumiu a presidência em julho de 2011. Em uma entrevista em dezembro do mesmo ano, Artemio disse que sua unidade havia sido derrotada pelo governo, pediu um cessar-fogo e queria se engajar em negociações de paz para concluir a desmobilização.

O governo peruano tinha oferecido uma recompensa de US$ 350.000 (R$ 600.000) por informações que levassem à captura de Artemio. Relatos não confirmados dizem que integrantes de sua própria unidade revelaram a localização do terrorista às autoridades para ficar com o dinheiro, mas o líder guerrilheiro foi ferido – não capturado – na operação de 9 de fevereiro.

Artemio era o último integrante ainda foragido do “Comitê Histórico do Sendero Luminoso”, que se refere à liderança tradicional da organização, explicam analistas.

Cerca de 70.000 pessoas foram mortas entre 1980 e 2000 enquanto o governo de Lima esmagava o Sendero Luminoso e o grupo guerrilheiro esquerdista rival movimento Túpac Amaru, segundo a Comissão da Verdade e Reconciliação do Peru.

A comissão independente relata que 31.331 mortes foram causadas diretamente pelos ataques terroristas do Sendero Luminoso.

Artemio, que liderava uma unidade de selva do Sendero Luminoso na região do Alto Huallaga, entrou para o negócio do narcotráfico no início dos anos 90, depois que uma série de golpes do governo deixou o grupo sem suas lideranças principais.

O líder guerrilheiro seria responsável por mais de 500 atos terroristas e 1.000 mortes, entre soldados, policiais e civis, segundo a Direção Nacional Contra-Terrorismo (DIRCOTE) da Polícia Nacional peruana.

O terrorista é conhecido por atacar delegacias de polícia, bases militares e os escritórios do programa de substituição de folhas de coca na região do Alto Huallaga.

Nos últimos cinco anos, o líder guerrilheiro teria assassinado ao menos 50 pessoas por colaboração com a polícia, segundo o governo.

Atualmente, a organização terrorista está presente em duas regiões de cultivo de folhas de coca – os vales do Alto Huallaga e dos rios Apurímac e Ene (VRAE), onde operam 300 guerrilheiros, também segundo o governo.

“Agora, precisamos também combater o tráfico de drogas nessa área”, disse Humala em 12 de fevereiro. “É como a pacificação da área do Alto Huallaga pode começar de fato.”

Você gostou desta reportagem?

5Rating_no

Incluir seu comentário

2 comentários

  1. alex 04/13/2012

    deveriam publicar notícias do interior do país com fotografias, ainda mais das regiões mais pobres como Apurimac e Ayacucho, especificamente da província de Grau, Antabamba, Cotabambas no Apurimac, de Abancay

  2. edizon vargas 03/11/2012

    bem este fato é basicamente construtivo para garantir a segurança do nosso país e o ministro do Interior deve continuar realizando este tipo de atividade até que sejam reduzidos a nada e que eles geram desgaste nos diferentes aspectos, seja na política, economia ou sociedade. Artemio deve ser julgado e condenado por todos os crimes que cometeu dentro de um quadro jurídico autônomo.

Pesquisa
Você considera o crime organizado uma ameaça à estabilidade em seu país?
Ver resultados