Você gostaria de fazer do português o idioma padrão deste site?
2012-02-15

Colômbia: Sistema de rastreamento combaterá contrabando

Por Carlos Andrés Barahona para Infosurhoy.com — 15/02/2012

Iniciativa fortalecerá luta do governo contra falsificação de produtos e evasão fiscal.

TAMANHO DO TEXTO
O principal objetivo do Sistema Único Nacional de Informação e Rastreamento (SUNIR) é rastrear produtos para que autoridades possam entender como mercadorias nacionais e estrangeiras são contrabandeadas e vendidas ilegalmente. (Carlos Barahona para Infosurhoy.com)

O principal objetivo do Sistema Único Nacional de Informação e Rastreamento (SUNIR) é rastrear produtos para que autoridades possam entender como mercadorias nacionais e estrangeiras são contrabandeadas e vendidas ilegalmente. (Carlos Barahona para Infosurhoy.com)

BOGOTÁ, Colômbia – A economia colombiana perde anualmente US$ 200 milhões (R$ 344 milhões) com a venda de bebidas e cigarros contrabandeados, além de outros produtos sem nota fiscal, segundo a Federação Nacional de Comerciantes (FENALCO).

Mas a Direção de Impostos Nacionais (DIAN) tomou medidas importantes no combate ao contrabando com a criação do Sistema Único Nacional de Informação e Rastreamento (SUNIR) que, a partir de novembro, rastreará produtos para que as autoridades possam entender como mercadorias nacionais e estrangeiras são contrabandeadas e vendidas ilegalmente.

“Com o novo sistema, todos os colombianos, varejistas e distribuidores saberão quais produtos são legais, originais e pagaram impostos”, disse em 31 de janeiro o diretor da DIAN, Ricardo Ortega, quando o Conselho Nacional de Política Social e Econômica (CONPES) aprovou o SUNIR.

A Colômbia usava o sistema convencional de carimbos, que eram facilmente falsificados, para indicar que um produto era legal.

O SUNIR consolidará todos os procedimentos e sistemas usados para classificar a importação, distribuição, consumo e exportação de qualquer bem entrando ou saindo da Colômbia.

Todos os 32 departamentos do país devem estar em conformidade com o sistema para que o estado não deixe de arrecadar nenhum imposto sobre vendas.

“[O] mais importante [aspecto] desse sistema é que, controlado o contrabando, os recursos do país aumentarão e teremos mais ativos para investir em programas sociais e de saúde”, ressalta o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos.

Santos prevê que o SUNIR será “um êxito que ajudará a eliminar drasticamente o contrabando na Colômbia”.

O SUNIR tem suas raízes em uma convenção de 2003 da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o controle do cigarro, que foi ratificada pela Colômbia em 2006.

Sob os termos do protocolo, a Colômbia se compromete a adotar medidas legais, executivas e administrativas para eliminar eficazmente a venda comercial de produtos ilegais e controlar a origem de itens como cerveja, bebidas prontas, destilados, vinhos, licores e, em linhas similares, cigarros e produtos derivados do tabaco.

Nova estratégia

A principal meta de curto prazo do SUNIR é consolidar informações de todos os 32 departamentos e do Distrito de Bogotá com a DIAN e aplicar um padrão uniforme de registro, classificação, interpretação e consolidação de dados.

“Com o novo sistema, saberemos em tempo real qual mercadoria é legal e poderemos cortar pela raiz as operações dos contrabandistas de uma maneira certeira e efetiva”, explica Bernardo Escobar Yaver, diretor da Divisão de Aduanas da DIAN.

Segundo o plano de ação do SUNIR, divulgado pelo CONPES, os passos para o funcionamento do sistema são:

O sistema usará um código de rastreamento digital, permitindo aos cidadãos rastrear o produto através de sites, mensagens de texto e chamadas por telefone ou celulares para se assegurar de sua legitimidade e origem.

“A base de dados para alcançar essa fase do SUNIR não tem precedentes”, destaca Ortega. “Pela primeira vez, com a impressão [digital] e o número da mercadoria, os colombianos poderão saber a legalidade do que consomem. Se uma pessoa não encontrar registrada a impressão digital do produto, deverá informar as autoridades, que podem encontrar mais facilmente quem está distribuindo a mercadoria ilegal. Porém, ainda estamos ajustando os detalhes para motivar o público a denunciar o estabelecimento onde compraram a mercadoria falsa.”

Segundo o CONPES, a evasão fiscal relacionada a bebidas alcoólicas chegou a US$ 158 milhões (R$ 271 milhões) em 2010.

Algumas dessas evasões fiscais ocorrem nas populares áreas comerciais conhecidas como “San Andresitos”, nas cidades grandes da Colômbia, onde comerciantes vendem roupas, cigarros, destilados, acessórios e eletrônicos contrabandeados a preços baixos.

David Rincón, um comerciante de destilados em um dos San Andresitos mais populares de Bogotá, diz que o SUNIR representa um golpe contundente contra a indústria do contrabando.

“O SUNIR será uma simples formalidade para unificar rastreamentos e mercadorias”, afirma. “Para alguns, significará que seus negócios realmente acabarão – porque é certo que há muito contrabando sem controle – e uma vez que o sistema entre em funcionamento, perderão dinheiro. Mas nós que somos legais não temos nada a temer.”

Você gostou desta reportagem?

9Rating_no

Incluir seu comentário

20 comentários

  1. juancarlos 04/30/2012

    há alguns anos, o governo da Colômbia enganou a nós membros das UAC, ACCU, BCB, Bloco do Norte e outros blocos começando pelo narcoparamilitar Alvaro Uribe Veles, ministra Marta Lucia Corlos Restrepo que ainda esperamos que volte à Colômbia para dar-lhe baixa

  2. ana carreño martinez 04/19/2012

    se a população colombiana pensasse bem no dano que causa ao nosso país isso estaria melhor

  3. oscar muñoz fernandez 04/19/2012

    A Colômbia é o país com mais leis no mundo, mas é também o país onde mais se violam as leis. Há uma infinidade de leis contra a corrupção, o contrabando, evasão fiscal, mas o que o país ganha quando os corruptos são os mesmos que impõem essas leis? Um exemplo a polícia nacional, as coisas que foram feitas para limpar esta instituição são intermináveis, mas lá eles continuam e continuarão Deus sabe por quanto tempo cometendo crimes e recebendo dinheiro para permitir que outros façam coisas ruins. A única coisa que pode salvar o mundo hoje é um dilúvio, mas não de água e sim de fogo e que as chamas ardam com fervor nos corpos e pertences dos corruptos que conseguiram pelo tráfico de drogas, violência e corrupção.

  4. carlos forero beltran 04/19/2012

    o governo dá poder a certas pessoas ou empresas para que tragam mercadorias a um preço irrisório e a vendam por um preço muito alto (como os carros chineses ruins, caros e para três anos) e só serão designados pelo governo os que podem fazer essas transações ou seja o acordo de livre comércio já está negociado e o estado já vendeu todas as cotas. agora existe um acordo de livre comércio baixam muito as tarifas e já DISSERAM que não vão reduzir o preço dos veículos senhores O ACORDO ESTÁ definido e eles já sabem quem será designado e aqueles que continuarão mandando serão os poderosos de sempre os autorizados 33483 os que irão nos absorver se estabelecermos empresas

  5. GLADYsValderrama 04/17/2012

    OS IMPOSTOS NESTE PAÍS QUEM PAGA É A CLASSE MÉDIA QUE TEM DE POUPAR O ANO TODO PARA PODER PAGAR E PARA QUE OS POLÍTICOS CORRUPTOS DO CONGRESSO ROUBEM, ELES GANHAM MILHÕES E NUNCA PENSAM NOS POBRES DA COLÔMBIA. MAS A LEI DE CAUSA E EFEITO ESSA NÃO FALHA PARA NINGUÉM

  6. esmeralda 04/16/2012

    é muito importante ok

  7. angelica forero rojas 04/10/2012

    A CORRUPÇÃO NA COLÔMBIA ESTÁ TÃO GRANDE QUE ATÉ UMA CRIANÇA JÁ SABE COMO SER CORRUPTA PRECISAMOS NOS REUNIR PARA QUE NÃO PREJUDIQUEM MAIS O PAÍS

  8. miguel24 04/05/2012

    O contrabando na Colômbia é e tem sido o pão de cada dia, então não é novidade, a polícia deve encarar esses problemas e ponto.

  9. carlos rios 04/02/2012

    é um acerto total, será um grande avanço neste assunto, além disso, demorou a implantação pois o estado vive da renda das bebidas, só para dar um exemplo, infelizmente a dinâmica de nossas instituições se destaca pela ambiguidade lenta já que deixamos tudo por último 33338

  10. margarita 03/29/2012

    como é possível que na sexta-feira passada libertaram o maior assassino da Colômbia e não tenham publicado em nenhum meio de comunicação sobre GARAVITO e vocês senhores jornalistas fiquem muito quietos, com todo respeito acho o cúmulo, todo o público merece saber.

  11. nidiaramirez 03/28/2012

    é sabido que a indústria colombiana está arrasada por tantos impostos e perseguição da DIAN, é um grande alívio tanto para o comerciante como para o comprador. esperemos que todos os produtos que entram no mercado sem pagar impostos sejam parados e destruídos e apoiaríamos mais nossos industriais e talentos.

  12. Mauricio 03/26/2012

    por que não aumentam as condenações ou penas na Colômbia, deveríamos também ter prisões maiores e mais seguras que garantissem que cada colombiano cumpra sua sentença na Colômbia, mas agora ninguém quer bancar ou reestruturar nosso sistema prisional, razão pela qual está a cada dia pior. Portanto, é evidente que hoje todos falam de direitos humanos, mas não está claro quem faz algo por eles, uma vez que até agora, tudo o que está claro é que os direitos dos prisioneiros são violados todos os dias mais e mais como um exemplo. basta visitar o presídio mais próximo. enquanto isso não mudar ou ninguém der um empurrão em todos esses colombianos, inocentes, culpados ou vítimas do sistema. seus direitos continuarão a ser violados e os presídios continuarão completamente superlotados.

  13. Carlos . Cabrera G. 03/15/2012

    Bom dia, JÁ CHEGA com os "ABUSOS" dos pagamentos do EMCALI, eles se escondem atrás de outros mas no final são eles que recebem todo o dinheiro, aumentaram os custos progressivamente nos últimos sete meses, NÃO MAIS, por favor ajudem-nos a diminuir "os índices de corrupção". Obrigado

  14. San Mateo 03/09/2012

    Seria fabuloso, assim os comerciantes de cidades pequenas pagariam o imposto real da indústria e comércio ao município, a Fazenda consultaria essa base de dados e cobraria direto e não como agora que o comerciante decide o que quer pagar.

  15. Alberto Mendez 03/07/2012

    Senhor, se você quiser controlar o contrabando, em vez de incomodar as pessoas que vendem ou compram nos mercados de San Andresito que vivem das poucas vendas que fazem e que são o sustento de muitas famílias, por que não controla, nos portos de chegada, a entrada de mercadorias no interior do país que é realmente para onde vai o dinheiro.

  16. JAVIER SUAREZ 03/07/2012

    Bom dia, é bem sabido que cada notícia é altamente comemorada, mas no final dificilmente se materializa e, mesmo quando acontece, é apenas pela metade, porque sua implantação tem detratores e inimigos que estão no processo, e eles contribuem para tornar as coisas catastróficas, sem falar que cada notícia leva a comunicar suas bondades e logicamente entra no jogo social, saúde, a população vulnerável, entre outras coisas, mas é bem sabido que as coisas continuam ir mal e para trás, no caso em questão há politização e os beneficiários serão uns poucos, os sistemas geralmente não funcionam e são facilmente violados pelos criminosos de colarinho branco. Adoro e sinto falta de TRANSPARÊNCIA, HONESTIDADE E AGILIDADE, valores que muito poucos de nós tomam para si próprios.

  17. julio alfonso cabuya luque 03/05/2012

    tudo parece bom, mas tenho uma dúvida sobre como fiscalizam os grandes contribuintes, eles têm retenções automáticas, fazem isso bem, mas quem garante que ao fazer a contabilidade um ou vários erros não são cometidos, e o imposto retido não foi repassado ao governo, digo isso porque essas entidades são geridas por muitos funcionários, talvez funcionários temporários, que não têm conhecimentos contábeis e facilmente ocorrem erros, como controlar essas entidades?

  18. AHO 03/04/2012

    Vamos ver se não copiam esses sistemas e deve-se conscientizar as pessoas com mais propagandas como as que estão passando obrigado

  19. lucy 03/02/2012

    quero que o colégio de San Antonio de los Caballeros fique bonito porque estava abandonado, se não fosse por uma greve que fizemos não perceberiam o que estava ocorrendo com o colégio, o prefeito de Florida Valle nos ajudou, a secretaria de educação o sr. de la Umata, muitas pessoas nos ajudaram

  20. Carlos Alberto 03/02/2012

    Devem fazer isso também com os produtos chineses que entram no país sem pagar impostos, graças à corrupção dos funcionários da Dian nos portos. Lembrem-se de que um funcionário corrupto da Dian pode deixar entrar o que quiser no país.

Pesquisa
Você considera o crime organizado uma ameaça à estabilidade em seu país?
Ver resultados