Você gostaria de fazer do português o idioma padrão deste site?
2012-03-01

República Dominicana: DNCD apreende 632 kg de cocaína

Por Ezra Fieser para Infosurhoy.com — 01/03/2012

Agência antidrogas do país já confiscou cerca de 1.720 kg de cocaína e 27.000 pílulas até o momento este ano.

TAMANHO DO TEXTO
Os dominicanos Samil David Arredondo Cedeño (à esquerda) e Pedro de Peña Rodríguez foram presos por agentes antidrogas em conexão com a apreensão de 632,9 kg de cocaína em 22 de fevereiro. (Cortesia da Direção Nacional de Controle de Drogas da República Dominicana)

Os dominicanos Samil David Arredondo Cedeño (à esquerda) e Pedro de Peña Rodríguez foram presos por agentes antidrogas em conexão com a apreensão de 632,9 kg de cocaína em 22 de fevereiro. (Cortesia da Direção Nacional de Controle de Drogas da República Dominicana)

SANTO DOMINGO, República Dominicana – Autoridades antidrogas dominicanas detiveram dois supostos contrabandistas e apreenderam um grande carregamento de cocaína que teria sido traficado por barco da América do Sul à costa sul do país caribenho.

Em 22 de fevereiro, a Direção Nacional de Controle de Drogas (DNCD) apreendeu 632,9 kg de cocaína contidos em 616 pacotes. Os cidadãos dominicanos Samil David Arredondo Cedeño e Pedro de Peña Rodríguez foram entregues a promotores para serem interrogados.

O porta-voz da DNCD, Roberto Lebrón, disse que a apreensão foi resultado de uma investigação de dois meses conhecida como “Operação Volcano”.

A cocaína, que supostamente seguia da América do Sul para Porto Rico via República Dominicana, mudou de mãos a cerca de 96 km da costa da cidade dominicana de Boca Chica.

“Trata-se de uma organização que recebia [os carregamentos de narcóticos] da Colômbia e da Venezuela, usando lanchas para coletar as drogas em alto mar”, afirma Lebrón.

Outros suspeitos alvos da ação continuam foragidos e Lebrón se recusou a fornecer mais detalhes até que a operação esteja concluída.

Militares dominicanos usaram aeronaves para rastrear o carregamento até o país. Ao chegar lá, os militares e a polícia seguiram a cocaína até Boca Chica, um pequeno balneário a leste da capital, Santo Domingo.

Os supostos traficantes foram encontrados em um hotel e em uma SUV estacionada nas proximidades. Vinte e cinco sacos plásticos cheios de cocaína tinham sido carregados em uma Toyota 4Runner dourada.

A droga foi enviada para laboratórios para exame e pesagem.

Segundo funcionários da DNCD, a cocaína tinha Porto Rico como provável destino, mas os narcotraficantes poderiam estar tentando enviá-la para a Europa. O material usado para embalagem veio de uma usina de açúcar em Yaracuy, no oeste da Venezuela, o que sugere o envolvimento de venezuelanos.

“É provável que, a qualquer hora, outras prisões aconteçam, porque a DNCD e outras agências de segurança estatais já identificaram outros membros da rede que recebia a droga”, assinala Lebrón.

A apreensão vem somar a uma campanha cada vez maior de interceptação das autoridades dominicanas. A DNCD já confiscou cerca de 1.720 kg de cocaína e cerca de 27.000 pílulas de substâncias ilícitas até o momento este ano.

Lebrón atribui os confiscos à cooperação entre as forças de segurança em todo o país.

Há muito, a República Dominicana tornou-se uma central de contrabando do Caribe, como ponto de transbordo para as drogas provenientes da América do Sul. Recentemente, os traficantes usaram a ilha de Hispaniola – que a República Dominicana compartilha com o Haiti – para transportar drogas para a Europa, segundo autoridades.

Mas os intensos esforços para reprimir o tráfico foram bem-sucedidos para as autoridades dominicanas.

No ano passado, foram apreendidos 6.715 kg de cocaína, um aumento de 48% em relação ao ano anterior, quando foram confiscados 4.527 kg, segundo dados da DNCD.

Você gostou desta reportagem?

0

Incluir seu comentário

Pesquisa
Você considera o crime organizado uma ameaça à estabilidade em seu país?
Ver resultados