Você gostaria de fazer do português o idioma padrão deste site?
2012-03-15

Drogas sintéticas ameaçam jovens guatemaltecos

Por Raúl Barreno Castillo para Infosurhoy.com — 15/03/2012

Falta de conhecimento sobre substâncias é principal razão da vulnerabilidade quanto ao consumo.

TAMANHO DO TEXTO
No ano passado, autoridades guatemaltecas apreenderam 7.847 barris de precursores químicos de drogas sintéticas, entre as quais ecstasy e metanfetamina. (Cortesia da Polícia Nacional Civil)

No ano passado, autoridades guatemaltecas apreenderam 7.847 barris de precursores químicos de drogas sintéticas, entre as quais ecstasy e metanfetamina. (Cortesia da Polícia Nacional Civil)

QUETZALTENANGO, Guatemala – Francisco Arriola, 17 anos, estuda investigação criminal e forense na Universidad Rafael Landívar, em Quetzaltenango.

O jovem estudante participou de seminários sobre vício em drogas e seus danos e afirma que aprendeu muito sobre maconha e cocaína, mas pouco sobre drogas sintéticas.

“O que sei é que são drogas a base de produtos químicos, chamadas de anfetaminas. Algumas vezes, são distribuídas em boates ou nas ruas, só isso”, diz.

As palavras de Arriola são um bom exemplo da ameaça que representam as drogas sintéticas à juventude do país, afirma Brenda Muñoz, promotora regional contra drogas e crimes ambientais do Ministério Público (MP).

A falta de conhecimento sobre drogas sintéticas, entre as quais ecstasy e metanfetamina – que podem ser fatais com um única dose –, é a razão de os narcóticos representarem “uma nova ameaça para nós”, ressalta.

A entrada de drogas sintéticas nos departamentos de Huehuetenango, San Marcos, Quetzaltenango, Sololá, Totonicapán, Suchitepéquez, Retalhuleu e Quiché para saciar a demanda dos viciados causa grande preocupação.

“Buscaram estes lugares porque muitas das drogas sintéticas seguem para o México e outra parte é distribuída na Guatemala, especialmente nos departamentos ocidentais e turísticos”, garante Brenda. “[Essas são zonas] altamente conflitantes em matéria de narcotráfico, devido à sua proximidade com os estados [mexicanos] de Chiapas, Oaxaca e Veracruz.”

Autoridades guatemaltecas assistiram o consumo de drogas sintéticas dar um salto recentemente, pois pelo menos 10 laboratórios clandestinos utilizados para produzir os narcóticos foram desmantelados nos últimos oitos meses no departamento de San Marcos, que faz fronteira com o México.

Em 2011, 7.847 barris de produtos químicos utilizados para fabricar drogas sintéticas foram apreendidos na Guatemala e, de julho de 2011 ao mês passado, pelo menos 22.000 kg de metanfetaminas foram confiscados, de acordo com o Ministério de Governança.

“O problema dos materiais usados para fabricar a droga sintética é que são tóxicos e voláteis e, além de contaminar os jovens, também afetam os lençóis freáticos e o meio ambiente onde estão instalados os laboratórios”, detalha Brenda.

Os jovens entre 17 e 25 anos de idade são os que mais usam drogas sintéticas na Guatemala, mas houve um pico de consumo entre crianças de 9 a 13 anos, segundo o Ministério Público.

Os traficantes de drogas sintéticas aliciam os jovens a experimentar os narcóticos fazendo pílulas fáceis de engolir e de sabor agradável.

“Eles as disfarçam tão bem que podem parecer uma guloseima”, exclama Brenda. “Isso as torna mais atraentes, sobretudo porque o efeito desses entorpecentes é de aceleração e excitação.”

No fim de fevereiro, o ministro do Interior, Mauricio López, declarou que, após a erradicação em San Marcos de diversos campos de papoula – o principal ingrediente da heroína –, o governo está voltando sua atenção ao combate dos cartéis mexicanos que fabricam drogas sintéticas, além de cocaína e heroína.

Sergio García, porta-voz da Polícia Nacional Civil em Quetzaltenango, afirma que estão sendo realizados esforços no sentido de afastar os menores dos traficantes de drogas sintéticas.

Já Dora Alcahé, a recém eleita governadora de Quetzaltenango, diz que apoia totalmente a luta contra as drogas.

“Os jovens, hoje em dia, estão em perigo frente às drogas e é necessário fazer algo a respeito para evitar que caiam nesse flagelo”, conclama.

Você gostou desta reportagem?

0

Incluir seu comentário

Pesquisa
Você considera o crime organizado uma ameaça à estabilidade em seu país?
Ver resultados