Você gostaria de fazer do português o idioma padrão deste site?
2011-09-01

Guatemala: Poluição do ar desafia autoridades

Por Antonio Ordóñez para Infosurhoy.com—01/09/2011

Apresentado projeto para regulamentar emissão de gases.

TAMANHO DO TEXTO
O Relatório Anual de Monitoramento do Ar da Universidad de San Carlos (USAC) concluiu que a principal causa da má qualidade do ar na Cidade da Guatemala é a emissão de gases pelos veículos, especialmente os usados no transporte público. (Antonio Ordóñez para Infosurhoy.com)

O Relatório Anual de Monitoramento do Ar da Universidad de San Carlos (USAC) concluiu que a principal causa da má qualidade do ar na Cidade da Guatemala é a emissão de gases pelos veículos, especialmente os usados no transporte público. (Antonio Ordóñez para Infosurhoy.com)

CIDADE DA GUATEMALA – Os níveis de poluição atmosférica do país são alarmantes e o problema piora a cada ano, segundo o Relatório Anual de Monitoramento do Ar.

Elaborado pela Universidad de San Carlos (USAC) desde 1995, o relatório concluiu que a principal causa da má qualidade do ar é a emissão de gases pelos veículos, especialmente os usados no transporte público.

Johny Álvarez, diretor do Laboratório de Monitoramento do Ar da USAC, ressalta que os níveis de dióxido de nitrogênio e dióxido de enxofre aumentaram consideravelmente porque muitos ônibus não foram substituídos na data recomendada pelos fabricantes.

“A vida útil desses veículos não passa de 5 anos, mas há ônibus que estão circulando na capital desde a década de 1980”, lembra Álvarez.

O governo permite que as empresas de ônibus usem veículos velhos se satisfizerem as exigências mínimas, como motorista habilitado, pagamento de impostos do ônibus e apólice de seguro.

Porém, não se exige que os veículos passem por um teste de emissões.

Há pelo menos 900.000 veículos nas ruas da cidade diariamente – e o número cresce ao menos em 50.000 a cada ano, segundo cálculos da prefeitura da cidade.

Quando o dióxido de nitrogênio e o dióxido de enxofre entram em contato com as nuvens durante o verão, é criada uma chuva ácida, o que provoca lesões na pele e doenças pulmonárias e digestivas.

Cerca de 29% das crianças entre 8 e 13 anos de idade no país sofrem de doenças pulmonares como asma, enfisema, infecções respiratórias e alergias, segundo um relatório publicado pela pela Asociación Guatemalteca de Neumología em 2006. Em 2000, o número era de 20% para a mesma faixa etária.

Complicações respiratórias são as principais causas de doenças infantis no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Dada a sua capacidade de penetrar as vias respiratórias mais profundamente, as partículas suspensas podem causar irritações graves no organismo e tornar os sintomas da asma e de doenças cardiovasculares ainda piores”, conclui o relatório da Universidad de San Carlos.

Álvarez afirmou que o governo deve fazer mais para melhorar a qualidade do ar.

“Publicamos esse relatório e fazemos as mesmas recomendações há 15 anos”, destaca.

O nível de concentração de partículas suspensas na Cidade da Guatemala é, em média, de 90 microgramas por metro cúbico por ano. O nível máximo aceitável é de 20 microgramas por metro cúbico, segundo a OMS.

Abelardo Pérez, avaliador do Programa Nacional sobre Alterações Climáticas do Ministério do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (MARN), afirma que o principal obstáculo para a melhoria da qualidade do ar na Cidade da Guatemala é a falta de legislação para regulamentar a quantidade de emissão permitida no meio ambiente.

“Não há leis para regulamentar as emissões de poluentes", ressalta.

Mas isso poderá mudar em breve.

A USAC, os Ministérios do Meio Ambiente e da Saúde e o Instituto Nacional de Sismologia, Vulcanologia, Meteorologia e Hidrologia (INSIVUMEH) estão preparando um projeto para o Congresso que estabelece parâmetros para a emissão de gases de pelos veículos.

O projeto está sendo avaliado pelo Consejo Superior Universitario – uma instituição guatemalteca autorizada a apresentar projetos ao governo – e não há prazo para a lei ser enviada ao Congresso.

Se aprovada, a lei valeria para todos os veículos, mas não para as indústrias, que são responsáveis pela geração de 30% dos poluentes no ar, segundo o Laboratório de Monitoramento do Ar da USAC.

As soluções

O Laboratório de Monitoramento do Ar tem recomendado repetidamente o uso de combustíveis alternativos como o biodiesel e o etanol, que emitem menos gás carbônico.

Combustíveis usados em motores a diesel possuem altas concentrações de enxofre, um dos principais poluentes do ar.

O MARN e a Comissão Centro-Americana para o Desenvolvimento do Meio Ambiente (CCAD) estão trabalhando no Primeiro Inventário de Poluentes para a Região Metropolitana da Cidade da Guatemala, que quantificará as diferentes fontes de poluição e identificará oportunidades para melhorar a qualidade do ar.

Felizmente para os guatemaltecos, a topografia do país favorece a ventilação da capital com um vento que sopra do norte para o sul.

“Na [Cidade da] Guatemala, as condições do vento são diferentes das da Cidade do México, onde a poluição estagna pela ausência de vento", explica Juan Guillermo Orozco, consultor de saúde ambiental da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) na Guatemala.

Você gostou desta reportagem?

4Rating_no

Incluir seu comentário

2 comentários

  1. Josue 11/22/2013

    Qual é o nível de poluição na Guatemala?

  2. rayane taís 08/12/2012

    que ridículo

Pesquisa
Você considera o crime organizado uma ameaça à estabilidade em seu país?
Ver resultados