Você gostaria de fazer do português o idioma padrão deste site?
2010-03-16

À caça de talentos bons de bola

Por Alexandre Corrêa para Infosurhoy.com — 16/03/2010

Tradicional exportador, Brasil agora importa jogadores

TAMANHO DO TEXTO
O Internacional contratou Roberto Abbondanzieri, nova estrela colorada e ex-goleiro do Boca Juniors da Argentina, numa tentativa de conquistar mais títulos. (Cortesia do Sport Club Internacional)

O Internacional contratou Roberto Abbondanzieri, nova estrela colorada e ex-goleiro do Boca Juniors da Argentina, numa tentativa de conquistar mais títulos. (Cortesia do Sport Club Internacional)

PORTO ALEGRE, Brasil – A cada temporada, o futebol brasileiro vive novo movimento migratório. Centenas de jogadores deixam o país, principalmente rumo à Europa e à Ásia.

Nenhum outro país exporta tanto talento com a bola nos pés quanto o Brasil.

Mas o país não apenas exporta, também repatria jogadores como forma de garantir a substituição dos que saíram.

No ano passado, 707 jogadores regressaram ao país e, nos últimos cinco anos, foram 2.657, incluindo estrelas como Ronaldo, Roberto Carlos, Adriano, Fred e Robinho, que tiveram passagens brilhantes pela Europa e pela Seleção Brasileira.

O saldo na balança comercial do futebol foi de 500 em 2006 e em 2008. No ano passado, esse número caiu para cerca de 300 – e a tendência é diminuir ainda mais.

O Internacional buscou o goleiro Abbondanzieri, do Boca Juniors (Argentina). O São Paulo repatriou Cicinho, ex-Roma. O Cruzeiro apostou na volta de Roger, que deixou para trás os petrodólares do Qatar. O Corinthians foi atrás de Roberto Carlos, que ficou 14 anos na Europa.

“É louvável o que acontece nos clubes brasileiros atualmente: a valorização da marca; o poder do marketing”, diz Fabio Koff, presidente do Clube dos 13, entidade que congrega os maiores clubes de futebol do país desde 1987. “As receitas dos clubes, principalmente no bom uso do seu departamento de marketing, possibilitam que Ronaldo, Adriano, Fred, Roberto Carlos e Robinho retornem ao Brasil. Isso é flagrante.”

Os maiores vencedores do futebol brasileiro conseguem justamente equilibrar o fluxo de saída e entrada de jogadores. Negociam muitos atletas com o Exterior, mas também garantem a recomposição imediata.

O Internacional e o São Paulo foram os clubes que mais faturaram com a venda de talentos nos últimos anos. O Inter faturou € 250,9 milhões (US$ 130,7 milhões), e o São Paulo embolsou € 217,8 milhões (US$ 112,8 milhões) de 2003 a 2008, segundo a Crowe Horwath. Mas os investimentos foram realizados com critério, já que os dois clubes venceram a maioria dos campeonatos disputados por times brasileiros na última década.

O São Paulo venceu três Campeonatos Brasileiros, uma Copa Libertadores e um Mundial FIFA, enquanto o Inter conquistou todos os títulos internacionais possíveis a um clube brasileiro de 2006 para cá: Libertadores, Mundial FIFA, Recopa, Copa Sul-Americana e Copa Suruga Bank.

“Outro fator importante é a parceria com os investidores”, diz Koff. “E aqui faço a ressalva na diferença entre investidores e especuladores, que são esses que se tornam praticamente donos dos jogadores e vendem quando querem, deixando o clube que o utilizava sem força de ação. Os investidores sim são parceiros dos clubes para investir na contratação de atletas de fora do Brasil.”

Em 2009, o Brasil exportou 1017 jogadores. Desde 2005 até agora, o número chega a 4933 – um contingente suficiente para formar mais de 448 times nacionais.

“A exportação de jogadores brasileiros é resultado da falta de recursos para os clubes competirem com o mercado exterior”, acrescenta Koff.

Ultimamente, os clubes europeus não respeitam nem mais a idade dos garotos na hora de investir. Já contratam meninos que mal ingressaram no mundo profissional.

Recentemente dois projetos de craques cariocas, os atacantes Philippe Coutinho, do Vasco, e Wellington Silva, do Fluminense, ambos com 17 anos, estrearam pelos seus times, já sabendo que estão sendo negociados com o Inter, de Milão, e o Arsenal, da Inglaterra. Na próxima temporada, partem para o Velho Continente.

“Mais destacado ainda é o êxodo de atletas de 14, 15 e 16 anos, praticamente capitalizando o futebol brasileiro. Isso ainda fica mais facilitado quando os clubes de fora, da Europa, por exemplo, disponibilizam toda estrutura ao jogador e à sua família no país, arranjando até emprego para os pais.”

Você gostou desta reportagem?

0Rating_no

Incluir seu comentário

9 comentários

  1. Robert Acosta 05/24/2014

    Sou do Panamá. Jogo na posição de atacante. Tenho 18 anos e gostaria de ter uma oportunidade de jogar em seu time.

  2. shampier stella 05/03/2013

    eu tenho 17, jogo como volante esquerdo sou do Uruguai quero a oportunidade de jogar em um clube, meu telefone é 097146537 obrigado aguardo uma resposta eu tenho 17, jogo como volante esquerdo sou do Uruguai quero a oportunidade de jogar em um clube, meu telefone é 097146537 obrigado aguardo uma resposta

  3. Mario JL 02/03/2013

    Oi, eu sou um jogador de futebol, jogo no ataque, sou muito técnico e ambidestro e bom de passe. tenho 27 anos e sou da Espanha. estou procurando uma oportunidade num clube aqui ou no exterior. Saudações,

  4. Camilo Sandy Claure 01/09/2013

    OI MEU NOME É CAMILO SANDY CLAURE!!! TENHO 16 ANOS DE IDADE! SOU GOLEIRO! TENHO 1,80M DE ALTURA! SOU BOLIVIANO!!!! JOGO FUTEBOL DESDE QUE EU ERA MUITO PEQUENO! ESTIVE EM MUITAS EQUIPES! E NA SELEÇÃO! gostaria que você me desse uma chance para mostrar minha capacidade! sempre quis fazer sucesso no futebol! porque estou pronto para fazer qualquer coisa para ter uma chance Perguntas ou qualquer coisa!!!! Meu celular 60400513

  5. Guillermo 12/12/2012

    Bom dia, sou Guillermo, jogador de futebol da Espanha gostaria de tentar ganhar a vida em outro país. Se quiser me contatar envie um email para esse endereço. Obrigado

  6. julio cesar 08/02/2012

    olá procuro um jogador de futebol que me apoie a seguir com meu sonho de ser jogador de futebol, tenho entre 14 e 15 anos só peço um empurrão, por favor, não deixem meu sonho desvanecer, eu moro na Colômbia, Medellín, meu telefone é 2367345 obrigado

  7. Giancarlo 11/14/2011

    Olá, sou jogador de futebol brasileiro nascido em 1985, centroavante, meço 1,77 m, 70 kg, jogo na terceira divisão espanhola, busco um representante que possa me ajudar a mudar de equipe, tanto faz se continuar a jogar na Europa ou voltar para o Brasil, mas preciso mudar de equipe meu e-mail é [email protected], muito obrigado, saudações

  8. gonzalo 07/30/2010

    Olá, estou procurando um representante para me levar para jogar no exterior, tenho 25 anos e jogo desde os 8 no clube Ñuñorco, estou disposto a jogar no exterior, espero sua resposta, atenciosamente, Gonzalo

  9. Matias lopez 07/27/2010

    Quero jogar, sou muito bom jogando e não minto, 25 anos, sou atacente do River Plate a dois anos, Argentina

Pesquisa
Você considera o crime organizado uma ameaça à estabilidade em seu país?
Ver resultados