Você gostaria de fazer do português o idioma padrão deste site?
2011-04-20

Costa Rica apoia reeleição de Blatter na FIFA

Por Dave Carey para Infosurhoy.com—20/04/2011

Seleção mexicana de futebol enfrenta Nova Zelândia em Denver, EUA, em 1º de junho.

TAMANHO DO TEXTO
O presidente da FIFA, Joseph Blatter, entrega à presidente da Costa Rica, Laura Chinchilla, uma bandeira da instituição, durante sua visita de dois dias a San José, onde a federação de futebol do país afirmou que vai apoiar sua candidatura para mais quatro anos à frente da entidade máxima do esporte. (Juan Carlos Ulate/Reuters)

O presidente da FIFA, Joseph Blatter, entrega à presidente da Costa Rica, Laura Chinchilla, uma bandeira da instituição, durante sua visita de dois dias a San José, onde a federação de futebol do país afirmou que vai apoiar sua candidatura para mais quatro anos à frente da entidade máxima do esporte. (Juan Carlos Ulate/Reuters)

WASHINGTON, D.C., EUA – Joseph Blatter acaba de ganhar mais um aliado a sua candidatura à reeleição como presidente da FIFA.

A Costa Rica anunciou essa semana que vai apoiá-lo na campanha para mais quatro anos à frente da entidade máxima do esporte.

Blatter, de 75 anos, está no comando da FIFA desde 1998. Ele recentemente viajou pela América Central, onde esteve com diversos presidentes, incluindo Laura Chinchilla, da Costa Rica, Mauricio Funes, de El Salvador, e Porfirio Lobo, de Honduras, em busca de seus apoios.

“A Federação Costarriquenha de Futebol apoiará Blatter”, declarou Eduardo Li, presidente da entidade, durante entrevista coletiva. “Essa é a decisão que o comitê executivo tomou e acreditamos no trabalho dele.”

Blatter está concorrendo contra Mohamed Bin Hammam, do Qatar, presidente da Confederação Asiática de Futebol (AFC).

“É o congresso da FIFA que vai votar e são as federações nacionais que vão ditar nossos rumos”, afirmou Blatter em entrevista coletiva. “Vamos juntos pegar a estrada que já conhecemos, ou vamos tomar uma estrada em que a pirâmide poderá ruir?”

Seleção mexicana de futebol enfrenta Nova Zelândia

O México quer estar em sua melhor forma para defender o título da Copa Ouro da CONCACAF e, para tanto, espera contar com a ajuda da Nova Zelândia.

O El Tri chegou a um acordo essa semana com a Nova Zelândia para a realização de um amistoso na cidade de Denver, Colorado, nos EUA, em 1º de junho.

Este será o último jogo do México antes da Copa Ouro.

“Haverá pouca neutralidade quanto ao local do jogo”, disse o técnico da Nova Zelândia, Ricki Herbert, segundo a The Associated Press. “O México jogou perante sua torcida em Los Angeles (na última vez em que nos enfrentamos) e será a mesma coisa em Denver, mas isso é ótimo.”

Será a primeira partida do México em Denver desde 2009, quando a seleção do país venceu a Bolívia por 5x1 no DSG Park, em Commerce City.

O jogo de 1º de junho entre os dois países poderá servir de prévia para um encontro muito mais importante daqui a alguns anos.

Em julho, a FIFA realizará o sorteio para definir quem o vencedor do grupo da Nova Zelândia, na Oceania, enfrentará em uma eventual disputa por uma vaga na Copa do Mundo de 2014. A decisão em dois jogos será contra um time da Ásia, da América do Norte ou da América do Sul.

“Poderemos estar de volta a essa região do mundo em 2013, em busca de uma vaga no Brasil”, declarou Herbert. “Queremos sentir mais desse tipo de ambiente intimidante.”

Depois do jogo contra a Nova Zelândia, o México volta a campo na abertura da Copa Ouro contra El Salvador em 5 de junho.

O vencedor da Copa Ouro, que conta ainda com Costa Rica, Cuba, Honduras, Guatemala, Jamaica, Granada, Estados Unidos, Canadá, Panamá e Guadalupe, estará automaticamente classificado para a Copa das Confederações em 2013 no Brasil.

A Copa das Confederações, que ocorre sempre um ano antes da Copa do Mundo, serve como aquecimento para o maior evento do futebol, já que é disputada no mesmo país que sedia a Copa do Mundo.

Brasil trabalha na melhoria dos aeroportos para a Copa do Mundo

As reformas dos aeroportos brasileiros finalmente decolaram.

O anfitrião da Copa do Mundo de 2014 anunciou essa semana que as necessárias reformas dos aeroportos do país já começaram, para que possam atender melhor o fluxo de visitantes que chegarão para o maior evento do futebol mundial.

O secretário de Aviação Civil do Brasil, Wagner Bittencourt, garantiu que as obras estarão concluídas a tempo, depois que o país foi criticado pela FIFA e outras organizações que achavam que as reformas estavam se arrastando.

“As reformas estão adiantadas em relação ao cronograma para atender as exigências da Copa do Mundo”, enfatizou Bittencourt em entrevista coletiva.

Surgiram preocupações depois que o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) divulgou que nove dos 12 aeroportos brasileiros previstos para serem reformados para a Copa do Mundo não estariam prontos para atender ao fluxo dos visitantes em três anos.

Mas Bittencourt, juntamente com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, afirmou que o Brasil estará pronto para receber o mundo.

“Como sempre, o Brasil se sairá bem”, assegurou a ministra durante entrevista coletiva.

As reformas também servirão para as Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro.

Jorge Vergara vende time da Costa Rica

Os jogadores do Deportivo Saprissa terão uma nova assinatura em seus contracheques.

O bem-sucedido time costarriquenho foi vendido pelo empresário mexicano Jorge Vergara à corporação local Horizonte Morado. Os termos do acordo não foram divulgados.

O conglomerado é composto de cinco empresas costarriquenhas, incluindo a gigante empresa de televisão Teletica.

Durante seus oito anos como proprietário do time, Vergara levou o Deportivo Saprissa a oito títulos e um terceiro lugar no Campeonato Mundial de Clubes de 2005. Vergara, que também é dono do popular time mexicano Guadalajara e da gigante de suplementos alimentares Omnilife, deixa o time muito melhor do que recebeu em 2003, quando estava mergulhado em dívidas.

“Quero agradecer o profissionalismo e dedicação dos jogadores, comissão técnica e pessoal administrativo”, declarou Vergara em nota oficial. “Os sucessos conquistados durante nossa gestão foram também resultado de seu trabalho e esforço.”

Vergara vai concentrar seus esforços no Guadalajara, o único clube mexicano da primeira divisão que não tem jogadores estrangeiros e que está prestes a se classificar para as finais. O time, que venceu a liga pela última vez em 2006, terminou em segundo lugar na Copa Libertadores em 2010, quando foi derrotado pelo Internacional de Porto Alegre.

Você gostou desta reportagem?

0

Incluir seu comentário

Pesquisa
Você considera o crime organizado uma ameaça à estabilidade em seu país?
Ver resultados