Você gostaria de fazer do português o idioma padrão deste site?
2009-11-10

11 de novembro — Resumo das notícias da América Central e do Caribe

TAMANHO DO TEXTO

CIDADE DO MÉXICO, México — Presidentes participam de cúpula de negócios: A 7ª edição da Cúpula de Negócios do México contou com a presença de três chefes de Estado: o anfitrião Felipe Calderón, o colombiano Álvaro Uribe e o costarriquenho Óscar Arias. A cúpula, encerrada em Monterrey no dia 10, debateu o rumo que a economia nacional seguirá depois da grave crise econômica que afeta o país. O representante do Fundo Monetário Internacional (FMI) para a América Latina, Nicolás Eyzaguirre, garantiu frente aos mais de 400 empresários da região que o México crescerá 3% em 2010.

[Infolatam, Milenio]

CIDADE DO PANAMÁ, Panamá — Panorama financeiro tem melhora considerável: A avaliação de risco do Panamá segundo a Standard & Poor's (S&P) passou de "estável" a "positiva" graças a uma reforma fiscal que gerará mais rendimentos para o Estado. De acordo com a imprensa especializada, a melhora da avaliação reduzirá a expectativa de risco com relação às emissões de dívida pública do país. Além disso, a consultora de negócios Bulltick Capital Market estimou que a economia do Panamá poderá crescer 2% em 2009 e 4% em 2010.

[La Estrella, El Financiero]

MANÁGUA, Nicarágua — Governabilidade fraca afeta a cooperação: A Nicarágua recebeu nota baixa em matéria de governabilidade e combate à corrupção na avaliação realizada pelo Banco Mundial. A qualificação afeta diretamente o acesso do país a fundos de cooperação internacional. A Corporação Desafio do Milênio, organização financiada pelos EUA e que busca reduzir a pobreza em dois departamentos da Nicarágua, decidiu suspender o desembolso de US$ 64 milhões. Esses fundos, somados aos US$ 77 milhões congelados em 2008 por doadores europeus, acumulam uma perda de US$ 140 milhões em ajuda externa.

[La Prensa, El Nuevo Diario]

SANTO DOMINGO, República Dominicana — FMI concede empréstimo de US$ 1,7 bilhão: Com o objetivo de fazer frente à crise financeira e estimular a atividade econômica até 2010, o Fundo Monetário Internacional (FMI) aprovou um empréstimo de US$ 1,7 bilhão a ser entregue à República Dominicana ao longo de 28 meses. Segundo o chefe da representação do Panamá na organização, Alejandro Santos, US$ 450 milhões serão entregues ao Ministério da Fazenda para apoiar o orçamento nacional e o restante terá como destino o Banco Central para fortalecer as reservas do país.

[EFE, Xinhua]

Você gostou desta reportagem?

0Rating_no

Incluir seu comentário

Pesquisa
Você considera o crime organizado uma ameaça à estabilidade em seu país?
Ver resultados