Você gostaria de fazer do português o idioma padrão deste site?
2009-12-01

1º de dezembro — Resumo das notícias da América Central e do Caribe

TAMANHO DO TEXTO

CIDADE DO MÉXICO, México — Emprego cresce na segunda metade do ano: Conforme o secretário nacional do Trabalho, Javier Lozano, 250.000 novos empregos foram criados na economia formal mexicana no segundo semestre de 2009, apesar da crise econômica que castiga o país. Além disso, a taxa de desemprego mostra sinais de queda. Em setembro foi de 6,41%, e em outubro baixou para 5,94%. Lozano comparou as porcentagens com as registradas em 1995, quando o México também enfrentou uma forte crise, e ressaltou que em 2009 a queda do nível de emprego é de apenas de 0,6%.

[El Heraldo, La Crónica]

CIDADE DA GUATEMALA, Guatemala — Bancos investem na região: Um ano e meio após a associação com investidores salvadorenhos, o Banco Industrial, o maior da Guatemala, com ativos de US$ 4,38 bilhões, anunciou que em maio de 2010 abrirá as portas da sua primeira sucursal em El Salvador. Outra instituição bancária da Guatemala, a Corporação G&T Continental, assegurou também ter planos de se expandir na região e abrir um banco na Costa Rica em médio prazo. Os dois bancos já contam com escritórios de representação no México e nos Estados Unidos.

[La Prensa Libre, El Periódico]

CIDADE DO PANAMÁ, Panamá — Governo busca firmar acordos de transparência: Com o objetivo de sair em 2010 da lista cinza de países considerados paraísos fiscais, estabelecida anualmente pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), o governo panamenho busca firmar 12 acordos de dupla tributação nos próximos meses. A informação é do Ministério de Economia e Finanças. As negociações para os convênios já estão na etapa final com o México e muito avançadas com a Espanha e a França. O governo também entrou em contato com outros países, como Inglaterra e a Holanda, para iniciar reuniões e está à espera de respostas.

[Hora Cero, Telemetro]

MANÁGUA, Nicarágua — BID aprova crédito de US$ 86 milhões: O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) concedeu à Nicarágua um empréstimo em condições favoráveis de US$ 86 milhões destinado a programas de infraestrutura, produção e comércio exterior. O empréstimo foi assinado pelo ministro da Fazenda, Alberto Guevara, que explicou que metade dos fundos será destinada ao melhoramento da rede de estradas rurais nas zonas produtivas. O crédito chega logo após o presidente Daniel Ortega pedir assistência aos órgãos multilaterais para enfrentar o impacto da crise financeira no país.

[Reuters, El Informador]

Você gostou desta reportagem?

0

Incluir seu comentário

Pesquisa
Você considera o crime organizado uma ameaça à estabilidade em seu país?
Ver resultados